3 dicas para saber quanto investir em um e-commerce

“Para definir essa verba de guerra, você pode olhar para o ticket médio de um produto”, orienta Fabio Ricotta, CEO da Agência Mestre

A maior dúvida de quem está começando a trabalhar com vendas online é se existe um investimento mínimo em e-commerce para gerar resultado. Mas, antes de pensar em resultado, é preciso refletir sobre as diferentes categorias de e-commerce.

Fabio Ricotta, CEO da Agência Mestre, acredita que os investimentos em e-commerces podem variar muito de tamanho, e por isso devem ser separados em pelo menos três categorias diferentes:

1. E-commerce recém-lançado

“Quem acabou de lançar um e-commerce terá que lidar com diferentes variáveis antes de pensar em resultado”, explica o especialista em Marketing Digital de Performance. O servidor, layout, a confiança do usuário, o prazo de entrega são alguns dos fatores que precisam ser testados e aprimorados quando lançamos um e-commerce e que afetam, mesmo que indiretamente, os resultados de campanhas de mídia, ensina.

“Nessa situação, é normal que, no início, seja preciso ‘torrar verba’ para testar o que vende e o que não vende, ao mesmo tempo em que todos os fatores citados acima estão sendo ajustados para entregar uma melhor experiência para o consumidor”

Ricotta conta que, ara e-commerces recém-lançados, é normal ter ROI (retorno sobre investimento) entre 1 e 2 ou, em muitos casos, até ficar negativo nos primeiros meses de investimento, já que estará passando por uma fase de testes.

2. E-commerce sem diferenciais

Em uma segunda categoria, estão os e-commerces que já estão há algum tempo no mercado, mas não possuem muitos diferenciais diante da concorrência. Não tem produtos fora de série, o preço não é muito competitivo e o frete também não é o melhor do mercado.

“Nesse caso, a geração de resultado é mais rápida do que na situação acima, já que você pode testar os produtos para saber quais têm maior margem de lucro e, assim, focar os investimentos nele. O ROI, neste cenário, pode ficar entre 1 e 4, se você conseguir otimizar bem suas campanhas e acertar a mão nos investimentos”, conta.

3. E-commerce líder de mercado

Por fim, o empresário exemplifica que existem aqueles e-commerces consolidados, que são líderes em seu segmento e conseguem se diferenciar, seja pelos produtos, preços ou frete. Neste cenário, o investimento torna-se muito mais fácil do que nos dois exemplos anteriores.

“Aqui, é possível que o e-commerce atinja até um ROI 15, exatamente por ser uma grande marca, com produtos diferenciados”, ensina Ricotta.

Conhecendo todos esses cenários, é muito importante saber em qual deles o e-commerce se encaixa para conseguir fazer um alinhamento de expectativas assertivo.

Afinal, quanto investir?

Por conta dessas variáveis e da diferença entre esses tipos de sites, é difícil dizer prontamente qual é o investimento mínimo em e-commerce para gerar resultados. Na verdade, para começar, é preciso definir uma verba de guerra.

“Para definir essa verba de guerra, você pode olhar para o ticket médio de um produto. Se ele for de R$ 100 e o lucro R$ 30, por exemplo, você multiplica o valor do lucro por 100 e então terá a sua verba de guerra, que no caso, será de R$ 3.000. Outra forma também é multiplicar o custo geral vezes 10”, explica. Ricotta contanto que esses valores servirão para testar e saber o que funciona na campanha, desde conhecer qual é o melhor público-alvo até entender qual copy – que é o texto que atrai o cliente – converte mais.

fonte: http://www.administradores.com.br/noticias/negocios/3-dicas-para-saber-quanto-investir-em-um-e-commerce/120044/